SAIBA MAIS SOBRE GO


Goiás


Goiás é uma das 27 unidades federativas da República Federativa do Brasil. Situa-se a leste da Região Centro-Oeste, no Planalto Central brasileiro. O seu território é de 340.086 km², sendo delimitado pelos estados do Tocantins (norte), Bahia (nordeste), Mato Grosso (oeste), Mato Grosso do Sul (sudoeste), Minas Gerais (leste e sul) e pelo Distrito Federal.
A capital e maior cidade de Goiás é Goiânia, sede da Região Metropolitana de Goiânia (RMG). Outras cidades importantes quanto a aspectos econômicos, fora da região metropolitana de Goiânia, são: AnápolisRio VerdeItumbiaraCatalãoLuziâniaFormosaJataíPorangatuCaldas NovasGoianésiaMineirosCristalinaQuirinópolis e Niquelândia, que também são as maiores cidades em população do interior do estado, além das cidades que compõem o Entorno do Distrito Federal. Ao todo são 246 municípios [7].
Com 6 004 045 habitantes[3] é o estado mais populoso do Centro-Oeste e o nono mais rico do país. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, em junho de 2011 registram-se em Goiás 4.061.613 eleitores [8].
topônimo Goiás (anteriormente, Goyaz) tem origem na denominação de uma comunidade indígena. O termo original parece ter sido Guaiá, forma composta de Gua e , a qual significa "indivíduo igual", "pessoas de mesma origem". O nome Goiás, quando utilizado no meio de uma frase, dispensa o emprego de artigo, similarmente ao que acontece na designação dos estados de Mato Grosso, de Mato Grosso do Sul e de Minas Gerais.

Geografia


Relevo

O estado de Goiás está localizado no Planalto central brasileiro, entre chapadas, planaltos, depressões e vales.
Há bastante variação de relevo no território goiano, onde ocorrem terrenos cristalinos sedimentares antigos, áreas de planaltos bastante trabalhadas pela erosão, bem como chapadas, apresentando características físicas de contrastes marcantes e beleza singular. As maiores altitudes localizam-se a leste e a norte, naChapada dos Veadeiros (1.784 metros), na Serra dos Cristais (1.250 metros) e na Serra dos Pireneus (1.395 metros). As altitudes mais baixas ocorrem especialmente no oeste do estado.

Clima

O clima é tropical semiúmido. Basicamente, há duas estações bem definidas: a chuvosa, que vai de outubro a abril, e a seca, que vai de maio a setembro.
A média térmica é de 23 °C, e tende a subir nas regiões oeste e norte, e a diminuir nas regiões sudoeste, sul e leste. As temperaturas mais altas são registradas entre setembro e outubro, e as máximas podem chegar a até 39 °C. As temperaturas mais baixas, por sua vez, são registradas do entre maio e julho, quando as mínimas, dependendo da região , podem chegar a até 4 °C. A tipologia climática tropical se faz presente na maior parte do estado, apresentando invernos secos e verões chuvosos. As temperaturas variam de região para região; no sul giram em torno dos 20ºC aumentando ao norte para 25ºC. O índice de chuvas segue o regime das temperaturas. A oeste do estado o índice atinge 1.800mm anuais diminuindo no sentido leste para 1.500mm/ano. Em parte do estado, mais precisamente no planalto de Anápolis e Goiânia ocorre o clima tropical de altitude com temperaturas médias anuais baixas, porém, a precipitação ocorre da mesma forma que no restante do estado.

Vegetação

Com exceção da região do Mato Grosso Goiano, onde domina uma pequena área de floresta tropical onde existem árvores de grande porte, onde a indústria aproveita como o mognojequitibá e peroba, o território goiano apresenta a típica vegetação do Cerrado. Arbustos altos e árvores de galhos retorcidos de folha e casca grossas com raízes profundas formam boa parte da vegetação. Municípios comoGoiâniaAnápolis, bem como diversos outros localizados no sul do estado possuem estreitas faixas de floresta Atlântica, as quais, na maioria das vezes, cobre margens de rios e grandes serras.
Ao contrário das áreas de caatinga do Nordeste brasileiro, o subsolo do cerrado apresenta água em abundância, embora o solo seja ácido, com alto teor de alumínio, e pouco fértil. Por esse motivo, na estação seca, parte das árvores perde as folhas para que suas raízes possam buscar a água presente no subsolo.
Exemplos de árvores do cerrado são: lobeiramangabeirapequizeiro, e de algumas plantas medicinais, como a caroba e a quineira.

Fauna

A fauna em Goiás é riquíssima, destacando-se animais de variadas espécies, como capivaras e antas, as margens de rios e riachos. Nas matas: onçastamanduásmacacos e animais típicos do cerrado, como a ema e a seriema. Pássaros de variadas espécies enriquecem a fauna goiana, além de peixes e anfíbios nos rios e lagos espalhados em todo o estado.
Para proteger as florestas, a flora e a fauna, foram criados pelo Governo parques e reservas florestais, onde são proibidas a pesca, a derrubada das árvores e a caça.
Os principais parques de proteção ambiental no estado são o Parque Nacional das Emas, situado no município de Mineiros, no sul do estado, e o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, nos municípios de Alto Paraíso de Goiás e Cavalcante.

Hidrografia

Lagos e lagoas

Demografia


e acordo com o censo de 2010 divulgado pelo IBGE, o estado de Goiás contava com 5.849.105 habitantes[3]. Goiás é, assim, o estado mais populoso do Centro-Oeste brasileiro.
O crescimento demográfico no estado acentuou-se após a fundação das cidades de Goiânia, em 1933, e Brasília, em 1960. Atualmente a taxa de crescimento demográfico em Goiás é maior do que a média nacional brasileira. Em 2010 a densidade demongráfica era de 17,20 hab/km².
O território goiano é marcado tanto por vazios demográficos quanto por regiões de alta concentração populacional. As àreas mais densamente povoadas do estado são a Região Metropolitana de Goiânia, com cerca de 2 milhões de habitantes,Microrregião de Anápolis, com mais de meio milhão de habitantes, e o Entorno de Brasília, com um pouco mais de 1 milhão de habitantes.

Economia

A composição da economia do estado de Goiás está baseada na produção agrícola, na pecuária, no comércio e nas indústrias de mineração, alimentícia, de confecções, mobiliária, metalúrgia e madeireira.Agropecuária é a atividade mais explorada no estado.

Setor primário

Agropecuária é a atividade mais explorada no estado e umas das principais responsáveis pelo rápido processo de agro - industrialização que Goiás vem experimentando. Privilegiado com terras férteis, água abundante, clima favorável e um amplo domínio na tecnologia na produção, o estado é um dos grandes exportadores de grãos, além de possuir um dos maiores rebanhos do país.
Pelo fato de sua a capital, fazer parte do eixo econômico Goiânia-Anápolis-Brasília e de estar localizada num ponto estratégico numa das maiores áreas agropecuarias do mundo, formou uma economia bastante dinâmica. A partir do final da década de 1960 uma redefinição das relações entre a agricultura e a manufatura, dando origem a um novo padrão de produção agrícola, assim a unidade do Ministério da Agricultura sediada no município de Goiânia, formou parcerias entre pecuaristas que tinham: Conhecimento, ferramentas e área para a produção de sementes melhoradas. Um dos pioneiros na produção desta denominada semente selecionada de arroz foi Adolf Schwabacher, e com a anuência da Cooperativa Rural, estas sementes eram adquiridas por seus membros ou não, dando origem a um novo modelo de produção agrícola no Estado, sendo os primórdios para a produção de sementes, resistentes a intempéries e pragas com uma excelente germinação, proporcionando um bom retorno.
Atualmente, o estado de Goiás enfrenta um grande desafio: tentar conciliar a expansão da agroindústria e da pecuária com a preservação do cerrado, considerada uma das regiões mais ricas do planeta em biodiversidade.
O rápido crescimento na agroindústria teve início no decorrer dos anos 1990 graças à adoção de uma dinâmica política de incentivos fiscais. A recente instalação de empresas alimentícias transformou Goiás em um dos principais pólos de produção de tomate.
No caso da atividade agrícola, o estado de Goiás destaca-se na produção de arrozcaféalgodãofeijãomilhosojasorgotrigocana-de-açúcaralho e de tomate. Goiás tem a liderança na produção degrãos.
Goiás é também o segundo maior produtor de algodão em pluma, possui a quarta maior área cultivada com soja no país, além de ocupar o quinto lugar no cultivo de milho. A safra de girassol cresceu, em 1999, 476% em relação ao ano anterior, fazendo com que Goiás passasse a responder por 70% da produção nacional.
Em 1999 foram colhidas 680 mil toneladas de tomates equivalentes a 22% da safra brasileira.
A criação pecuária compreende 18,6 milhões de bovinos, 1,9 milhões de suínos, 49, 5 mil bufalinos, alem de eqüinosasininos (jumentos, mulas e burros), ovinos e aves. Detém o 3º maior rebanho de gadobovino do país. Em Goiás, a pecuária está experimentando crescimento extraordinário, fornecendo, alem da produção do leite, outros derivados como carne, couro, lã e pele.
O estado é rico em reservas minerais. O subsolo goiano apresenta grandes variedades de minérios, que dá condições economicamente muito favoráveis. Sendo os principais minérios o níquelmanganês,calcário e o fosfato, sendo os principais municípios mineradores NiquelândiaBarro Alto e Catalão.O estado produz também água mineral, amianto, calcário, ouro, esmeralda, cianeto, manganês, nióbio e vermiculita.

Infra-estrutura

Educação

Com 3.512 estabelecimentos de ensino fundamental, 1.960 unidades pré-escolares, 866 escolas de nível médio e 29 instituições de nível superior, a rede de ensino do estado é a mais extensa do Centro-Oeste do país.[20] Ao total, são 1 317 028 matrículas e 66 902 docentes registrados.[20]
O fator "educação" do IDH no estado atingiu em 2005 a marca de 0,891 – patamar consideravelmente médio, em conformidade aos padrões do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) [21] – ao passo que a taxa de analfabetismo indicada pelo último censo demográfico do IBGE foi de 8,6%, superior às porcentagens verificadas em 11 estados brasileiros.[22] A taxa de analfabetismo funcional é de 19,7% da população.[23]
Goiás possui várias instituições educacionais, sendo que as mais renomadas delas estão localizadas principalmente na Região Metropolitana de Goiânia e em Anápolis. Na lista de estados brasileiros por taxa de alfabetismo, Goiás aparece em décimo quarto lugar, com 9,6% de sua população analfabeta e 21,4% analfabeta funcional.[24] Esses dados colocam Goiás logo acima de Rondônia e atrás do Espírito Santo, exatamente na metade da lista.
As cidades que mais se destacaram em educação segundo o IDEB são: AnápolisItumbiaraRio VerdeSão Luís de Montes BelosCristalinaFormosaJataíCaldas NovasBom Jesus de Goiás, [[Morrinhos (Goiás)|Morrinhos], Aparecida de GoiásPorangatuNiquelândia e Novo Gama. Todas essas cidades ficaram acima da média esperada pelo IDEB.
Instituições públicas de ensino superior
Instituições privadas de ensino superior
  • Faculdade Araguaia
  • Faculdade Cambury
  • Faculdade Estácio de Sá de Goiás – FESGO
  • Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)
  • Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO)
  • Universidade Paulista (UNIP)
  • Faculdade Alves Faria (ALFA)
  • UniEvangélica
  • Faculdade do Instituto Brasil (Fibra)
  • Universidade Anhanguera (Uni-Anhanguera)
  • Faculdade Sete de Setembro
  • Faculdade Padrão (Padrão)
  • Centro de Ensino Superior de Catalão (CESUC)
  • Faculdade Educacional de Ciências Humanas de Anicuns - (FECHA)
  • Centro de Ensino Superior de Jataí (CESUT)
  • Instituto de Ensino Superior de Rio Verde - Faculdade Objetivo (IESRIVER)
  • Fundação do Ensino Superior de Rio Verde (FESURV)
  • Centro Universitário de Mineiros (UNIFIMES)
  • Faculdade Mineirense (FAMA)
  • Fundação Almeida Rodrigues (FAR)
  • Faculdade Quirinópolis (FAQUI)
  • Faculdade de Caldas Novas (UNICALDAS)
  • Faculdade de Tecnologia SENAI Robeto Mange (FATEC Anápolis)
  • Faculdade de Goiás – FAGO (Estácio de Sá de Goiás)
  • Faculdade Montes Belos - (FMB)
  • Faculdade de Iporá - (FAI)
  • Faculdade Delta - (FACDELTA)
  • Faculdade Alfredo Nasser - (UNIFAN)
  • Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas de Goiatuba - (FAFICH)
  • Faculdade Sul-americana - (FASAM)
  • Faculdade Nossa Senhora Aparecida - (FANAP)
  • Universidade Luterana do Brasil - (ULBRA)

Ligações externas


Nenhum comentário:

Postar um comentário